Rádio Criciuma

Rádio Criciúma

Canais
Como escutar
Programação
Galeria de fotos
Guestbook
Notícias
Colunistas
André Abreu - EUA
Carla Giassi
Cris Freitas
Cristiano Forte
Dante Bragatto Neto
Dentro da Área
Dr Fernando Moreira
Dr. Vilson Schambeck
Maíra Rabassa
Mariana Trichêz Dalanholli
Néia Pavei - Itália
Nena Benedet Tautz
Rádio Criciúma Debate - em vídeo
Vinícius Valcanaia
Serviços
Vídeos
Chat
Classificados
Fale Conosco
Portal
Cadastre-se
Anuncie aqui
Contato
Twitter RádioCriciúma.com.br


Publique as notícias da Rádio Criciúma em seu site. É grátis!
Copie o código abaixo e cole no seu site:
Cidades da região
Orleans

Breve história

Por ocasião do casamento de suas altezas imperiais, a Princesa Isabel Cristina Leopoldina Augusta Michaela Gabriela Rafaela Gonzaga de Bragança e o Conde d´Eu, realizado em 15 de outubro de 1864, foi determinado pelo Imperador Dom Pedro II e pela Imperatriz Teresa Cristina um dote de terras. Sua macro localização foi estabelecida por ato assinado em 17 de outubro de 1870, em 98 léguas a serem escolhidas nos estados de Santa Catarina e Sergipe.
No Vale do Rio Tubarão implantaram a colônia que, mais tarde, denominou-se Grão Pará, haja vista a descoberta de carvão mineral nas imediações e já existir planos para a construção de uma estrada de ferro margeando o rio Tubarão. Nesse local estão situados hoje os municípios de Orleans, parte de São Ludgero, Grão Pará, Rio Fortuna e Santa Rosa de Lima, abrangendo ainda parte das cidades de Anitápolis, Armazém, São Martinho e São Bonifácio. A Colônia Grão Pará foi criada em 1882.
Ao visitar o canteiro de obras da estrada de ferro, declarou então o Conde d´Eu: "Aqui nascerá uma cidade com o nome de Orleans". O nome foi uma homenagem a sua própria família da nobreza de França. A escolha do nome e de sua localização determinou a tomada de grandes providências já em 1885, com a abertura de ruas, venda dos primeiros lotes e construção da capela nas imediações da estrada de ferro.
Como resultado de um trabalho das lideranças locais, os políticos de Tubarão, comandados pelo deputado Acácio Moreira, criaram o município pela Lei Estadual nº 981 de 30 de agosto de 1913, ocorrendo a instalação em 20 de outubro do mesmo ano. Era composto dos distritos da sede, Lauro Müller, Grão Pará e Palmeiras. Na divisão territorial, fixada pelo Decreto Lei 941 de 31 de dezembro de 1943, a grafia do nome do município passou para Orleães e o Distrito de Palmeiras para Pindotiba. Em 1970, voltou a grafia original de Orleans a pedido do Príncipe Dom Pedro de Orleans e Bragança, quando visitou o município.
O Distrito de Lauro Müller foi emancipado em 5 de outubro de 1956, o de Grão Pará em 21 de junho de 1958 e, finalmente, uma parte de São Ludgero transformada em município em 14 de junho de 1963.
O planejamento da cidade de Orleans foi elaborado com uma preocupação que se antecipou no tempo, pois mesmo sem a existência do automóvel, criaram-se grandes avenidas que até hoje, mais de cem anos decorridos, suportam perfeitamente o elevado número de veículos existentes.
A Matriz Santa Otília teve sua construção iniciada em 1922 e por longo tempo ficou sem a torre. A obra foi concluída em 24 de janeiro de 1960. Uma grande atração é o Morro da Igreja, o pico mais alto do Estado, com 1.822m de altura. Há mais de três séculos o lugar é cercado de lendas e há registros sobre a existência de uma mina de prata ou de um provável tesouro nas imediações - os padres jesuítas teriam escondido ali grande quantidade de peças em ouro, prata e pedras preciosas. Parte das histórias e muitos documentos oficiais, alguns com mais de 200 anos de idade, foram transcritos pelo padre João Leonir Dall’Alba no livro “O Tesouro do Morro da Igreja”, em 1994.
Os destaques turísticos são: As esculturas no Paredão, criadas pelo artista José Fernandes, mais conhecido como Zé Diabo, natural de Orleans, projetam o nome do município na América do Sul; e o Museu ao Ar Livre, iniciado em 1974 pelo padre João Leonir Dall’Alba, após a devastação das enchentes, resgata todas as fases da colonização da região de Orleans - entre outras curiosidades, são mostrados engenhos e serrarias movidos por roda d’água ou pela força de bois. O museu foi inaugurado em 30 de agosto de 1980. .

Gestão 2005-2008
Prefeito: Valmir José Bratti (PP)
Vice-prefeito: Jacinto Redivo (PFL)

Características:

Data de fundação: 26 de dezembro de 1884.
Emancipação: 30 de agosto de 1913.
Data festiva: 30 de agosto a 07 de setembro (Semana Cultural).
Principais atividades econômicas: agricultura e indústria.
População: 20.021 habitantes.
Colonização: italiana.
Principais etnias: alemã, polonesa, letã e portuguesa.
Localização: região sul, a 180km de Florianópolis.
Área: 600,6km2.
Clima: mesotérmico úmido, com verão quente e temperatura média de 18,8°C.
Altitude: 132m acima do nível do mar.
Cidades próximas: Lauro Müller, Grão-Pará, São Ludgero, Urussanga, Criciúma, Tubarão.

Links:
Prefeitura: www.orleans.sc.gov.br
Câmara: www.orleanscamara.sc.gov.br



home | notícias | artigos | colunistas | livro de visitas | vídeos
anuncie | aovivo | cadastre-se | galeria de fotos | cidades
classificados | quem toca aqui

Copyright © 2018. Todos os direitos Reservados

Classificados
O que você procura?
Webcam Ao vivo
imagem da webcamClique para ver ao vivo, imagens da nossa webcam.